novembro azul gesAssim como o Outubro Rosa, para conscientização das mulheres sobre a prevenção e combate ao câncer de mama, o Novembro azul é uma campanha dirigida aos homens sobre a necessidade de buscar atendimento médico para realizar exames preventivos do câncer de próstata e outras doenças masculinas que incorrem após os 45 anos. Segundo o INCA (Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva), no Brasil, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens, em primeiro lugar está o câncer de pele não-melanoma.

O movimento surgiu na Austrália, em 2003,3 aproveitando as comemorações do Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata, realizado a 17 de novembro.

Na verdade, novembro azul é mais tradicionalmente dedicado ao diabetes mellitus. Em 14 de Novembro, data do nascimento do Dr. Banting, descobridor da insulina, comemora-se o dia mundial do diabetes (a data foi instituída pela Federação Internacional de Diabetes – IDF e pela Organização Mundial da Saúde (OMS) desde 1991, e conta com o reconhecimento e apoio da Organização das Nações Unidas (ONU), que em dezembro de 2006 assinou uma Resolução reconhecendo o diabetes como uma doença crônica e de alto custo mundial), e no mundo inteiro, ações são desenvolvidas para que o diabetes seja mais divulgado, seus modos de prevenção, diagnostico precoce e manejos. Em muitos locais do mundo, instituições são iluminadas de azul, caminhadas são propostas, ações em ruas movimentadas, etc.

novembro-azul-brasil-inox-canoas-300x196No Brasil várias instituições aderiram a campanha, até mesmo o Congresso Nacional ficou iluminado na cor da campanha.

 Fatores de risco para o câncer de próstata:

 Idade (cerca de 62% dos casos são de homens a partir dos 65 anos);

  • Histórico familiar;
  • Raça (maior incidência entre os negros);
  • Alimentação inadequada, à base de gordura animal e deficiente em frutas, verduras, legumes e grãos;
  • Sedentarismo;
  • Obesidade;

novembro azul(resenha)Previna-se, procure seu médico, pois se diagnosticado precocemente, as chances de cura são de cerca de 90%!

Alguns depoimentos:

“Eu faço esse exame desde os 48 anos. Apesar disso sei que o exame ainda é cercado por preconceito, piadinhas e medo. Quando eu cheguei ao consultório pela primeira vez, fui cheio de dúvidas, mas tinha a certeza de que precisava prevenir a doença.
Soube de vários casos em que homens morreram por serem machistas. Um caso que repercutiu bastante foi o do ex-governador de São Paulo, Orestes Quercia, que sofreu muito com o câncer na próstata e acabou falecendo.
Aconselho a todos os homens a procurarem o urologista para serem encaminhados a fazer o exame, principalmente quem tem um histórico dessa doença na família. Pois um simples exame poderá salvar sua vida, se a doença for diagnosticada precocemente.” Antônio Romano Pucciariello

“Depois de muitas desculpas, algumas delas realmente boas, pois enrolei por nove anos, finalmente decidi que aos 49 anos estava na hora de fazer o exame de próstata. Não é algo fácil para quem foi criado dentro de quartel, principalmente quando eram redutos exclusivamente masculinos, falar, perguntar ou mesmo conseguir informações sobre a necessidade e importância do exame. Você se sente velho, meio caído e até só. Porém, foi conversando com amigos mais velhos que recebi as informações e até a indicação de um médico pertinho de casa, para não dar chance de mais desculpas como trânsito, tempo e blá blá blá… sou bom nisso. Chegando no consultório deparei-me com caras mais velhos e, para meu espanto, caras muito mais novos do que eu. Isso me deixou claro o alto nível de conscientização da pessoas. Encontrei até um outro amigo que já não via há mais de ano. E foi assim, reduzindo a tensão e aumentando a informação que as coisas rolaram. Não é confortável, não é tão simples, mas é EXTREMAMENTE NECESSÁRIO!” Alexandre Neves

Fonte: http://janaclimaco.blogspot.com.br/2014/11/novembro-azul.html